O gatinho

Postei a foto desse gatinho fofo exclusivamente para aumentar o tráfego do blog

Se você bobear, a PETA joga nanquim na sua estola de vison. A civilização melhorou muito de uns tempos para cá. As pessoas estão procriando menos e, em proporção inversa, adotando animais domésticos. Os animais são os reis das redes sociais, já reparou? Acho que é um bom sinal, as crianças vão crescer com outros valores.

Mas nem sempre foi assim.

Em 1983 éramos uns broncos, crianças ogras de nove anos.

Meu amigo fazia experiências “científicas” com animais. A mais notável foi uma em que ele enterrou um bípede plumado vivo, dentro de um saco plástico. Semanas depois, meses talvez, retomou o experimento, voltou à cova, queria checar os despojos. Para seu espanto, os ossos estavam lá.

Ele esteve movido pela curiosidade — e também por um certo sadismo — próprios dos meninos. Aplicou seringas de azul de metileno em diferentes espécies de peixes e descarregou energia elétrica em artrópodes de múltiplos calibres.

Mas o tal amigo e mais seis crianças ogras em Monte Alto, no interior se São Paulo, fizeram ainda pior.

Tudo começou quando uma vizinha ranzinza, incomodada com um gato vira-lata preso à sua árvore, deu a eles a missão de “sumir” com o felino.

Eles caminharam quadras e quadras, em silêncio,  até o fim do bairro, onde havia terrenos baldios com mato alto, quase sempre domado a fogo. Um deles, à frente da turma, levava o saco de estopa com o bichano dentro.

Foi num desses terrenos ardentes, longe da civilização, que os moleques imolaram o animal, impiedosamente. Eles se entreolharam, apavorados, ao ver o bicho lutando contra as chamas, as entranhas cozinhando, os olhos explodindo, bolhas saltando do couro.

O que pode ter levado essas crianças de nove anos a executar tamanha crueldade? Alguém tem uma ideia?

6 comentários sobre “O gatinho

  1. Credo! E eu achando que era muito cruel por arrancar rabo de lagartixa com havaianas, queimar formigas e jogar sal em sapos e lesmas. Seu amigo aliviou minha culpa.

    1. A humanidade é responsável. É fácil negar a origem. Díficil é ter ciência de seus limites, para o bem e para o mal. É tudo humano, demasido humano.
      Adultos, freamos um pouco os impulsos, temos alguma consciência.
      A sociedade exige.
      É esse o mal estar na civilização.

  2. Eu concordo com você. Hoje tratamos os animais em maior pé de igualdade. Aliás, tratamos os animais como se eles tivessem que ser nossa imagem e semelhança, o que é errado também. Quanto aos maus tratos, os gatos por exemplo são (foram) muito mais perseguidos na história que os cachorros… os pequenos felinos simbolizavam a perpetuação do poder, eram (via de regra) os bichos preferidos dos nobres, dos aristocratas… por isso a perseguição… aí há meio que um inconsciente coletivo que preserva (ou preservou) isso…

  3. Transtorno de Conduta, mas conhecido como psicopatia. Ainda bem que vc não tem mais contatos com essas pessoas.

    Fonte: Mentes perigosas – O psicopata mora ao lado

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s